O álbum “Ar” de Almir Sater e Renato Teixeira conquistou o prêmio de melhor álbum de música de raízes brasileiras na 17ª edição do Grammy Latino, evento realizado nesta quinta-feira (17) na T-Mobile Arena, em Las Vegas (EUA).

Almir Sater e Renato Teixeira concorreram com cantores consagrados como Alceu Valença (álbum “A Luneta e Tempo”) e Elba Ramalho (“Cordas, Gonzaga e Afins”). Os outros dois finalistas foram os álbuns “Heraldo Do Monte”, de Heraldo do Monte, e “No Forró do Seu Rosil”, de autoria de Lucy Alves e Clã Brasil.

Ar” é um álbum de estilo folk, que valoriza e bebe em várias fontes musicais – como o rock britânico de Eric Clapton ou mesmo o country music dos EUA – sem perder as raízes regionalistas que marcam a trajetória de Almir Sater e Renato Teixeira e os fizeram ser conhecidos em todo o país.

Almir Sater e Renato Teixeira também concorreram na categoria de melhor canção de língua portuguesa com a música “D de Destino“, composta junto com Paulo Simões. Entretanto, o vencedor foi Djavan, com “Vidas pra contar”. Na final também estavam “Amei Te Ver” (Tiago Iorc), “Maior” (Dani Black e Milton Nascimento) e “Maria Da Vila Matilde” (Elza Soares).

D de Destino” é a música que abre o disco vencedor de Almir Sater e Renato Teixeira. Ao todo, são 10 canções inéditas, entre elas “A flor que a gente assopra”, “Espelho d’água”, “O amor tem muitas maneiras” e “Noite dos sinos”.

Outro cantor com carreira em Mato Grosso do Sul que participou do Grammy foi Michel Teló, na categoria “Melhor álbum de música sertaneja”. Com o “Baile do Teló”, ele chegou ao final pela quarta vez, ao lado de Leonardo, Lucas Lucco, João Victor e Paula Fernandes, a vencedora da noite com o disco “Amanhecer”.